top of page
Buscar
  • Paraíso das Águas

Como empresária de Bonito (MS) reformulou negócios e conquistou selo internacional Lixo Zero

Atualizado: 15 de ago. de 2023



Sustentabilidade e compromisso com a conservação do meio ambiente é a missão firmada pelo Hotel Paraíso das Águas, localizado na Serra da Bodoquena


Com paisagens de tirar o fôlego, Bonito, cidade no interior do Mato Grosso do Sul, cresceu e se desenvolveu comprometida com a preservação dos recursos naturais existentes. São várias as opções de passeios, que vão de flutuações em rios transparentes até trilhas na vegetação nativa, onde a beleza da fauna e flora local são exuberantes.


É nesse cenário paradisíaco que funciona o Hotel Paraíso das Águas, idealizado por um casal de paulistas que chegou à pequena cidade, na década de 1960. Atentos às oportunidades de gerar negócios e desenvolvimento local, os fundadores Ari e Enir montaram o serviço de hospedagem, que este ano completa 27 anos de funcionamento.


Na atualidade a gestão é realizada pela filha, Sílvia Schmidt e seu irmão Ari, consolidando ainda, um case de sucesso na sucessão familiar, no ramo do turismo ecológico. Economista e empreendedora por natureza, Silvia participou de vários momentos da administração, testemunhando o grande prejuízo do setor, na pandemia decretada em março de 2020.


Quais foram as principais ações na mudança de consumo?


Inicialmente é preciso esclarecer que a certificação é uma realização do Instituto Lixo Zero Brasil e da empresa DNV, uma consultoria empresarial especializada em orientar, avaliar e certificar, a implementação de ações sustentáveis que reduzam o envio de resíduos sólidos para os aterros das cidades.


A metodologia Lixo Zero é exclusiva da Co.Circular, empresa estabelecida no Brasil e validada pela ZWIA (Zero Waste International Alliance). A consultoria oferecida aos negócios de diferentes ramos econômicos, impacta em fatores importantes, como: reaproveitamento de resíduos, reciclagem e na multiplicação de informações pedagógicas importantes, sobre preservação do meio ambiente.


Silvia conta que iniciou a sistematização das ações sustentáveis analisando os resultados apresentados pela pesquisa realizada por intermédio da plataforma Booking, uma das maiores plataformas de marketplace para viagens em todo o mundo. A empresa conecta milhões de viajantes e destinos, disponibilizando informações importantes sobre o local desejado. Do mesmo modo, apresenta, opções de hospedagens, transporte, com foco nos empreendimentos que tenham uma cultura de sustentabilidade.


“No final de 2021, tivemos acesso a uma pesquisa efetuada pela Booking, na qual somos cadastrados e fiquei impactada com as transformações provocadas no período inicial da pandemia. Um número expressivo de consumidores afirmou que pagaria um preço expressivamente maior para ficar em um hotel sustentável”, revela a empresária.



Crédito da Imagem: Hotel Paguas


Na avaliação Silvia, o ponto mais positivo verificado nas respostas dos turistas de diferentes partes do mundo, foi constatar que o Hotel Paraíso das Águas já desenvolvia uma série de ações ambientalmente corretas. “Nossa empresa já pratica ações sustentáveis como: a utilização de energia solar desde 2018, faz a destinação correta de 100% das peças de vidro utilizadas, incentivamos os hóspedes a reutilizar as toalhas e dar preferência aos fornecedores do comércio local”, detalha.


No entanto, os gestores observaram que era possível, por meio de um planejamento sistematizado, organizar e ampliar o trabalho e ainda, divulgá-lo nacional e internacionalmente. Com apoio da equipe da plataforma internacional, a equipe iniciou o processo de desenvolvimento do diagnóstico ambiental, organizando as iniciativas que já funcionavam. Visando se adequar às diretrizes do Instituto Lixo Zero, contrataram os serviços da Ciclo Azul, uma consultoria especializada em ações ambientais e gerenciamento de resíduos sólidos.


“Em abril de 2022, conquistamos o selo Booking de “Viagens Sustentáveis”, em razão das ações já implementadas, mas, percebemos que muito mais teria de ser feito para ter o reconhecimento de um estabelecimento totalmente sustentável”, relembra Silvia.


Desse modo, foram elencadas as prioridades e divididas em duas frentes principais, otimização de consumo e ação de atualização dos equipamentos existentes (retrofit):


- Redução no consumo de água e energia;

- Levantamento do número de lâmpadas que seriam substituídas por opções com menor consumo;

- Definição de marca ou modelo de aparelhos de ar-condicionado com características de menor consumo;

- Uso de equipamentos que higienizam o ar-condicionado a cada 3 meses, sem necessidade de desinstalação e sem perda de gás. A manutenção, além de reduzir o consumo de energia é benéfica à saúde das pessoas;

- Substituição de equipamentos de refrigeração antigos e que tinham consumo energético muito alto (processo de retrofit);

- Manutenção periódica das placas solares para obter a máxima geração de energia própria;

- Terceirização do serviço de lavanderia, pois o processo do hotel era antigo e consumia muita água, produtos químicos e energia elétrica.


A proprietária avaliou que naquele momento, a compra de novos aparelhos, mais modernos e com menor consumo era inviável. Portanto, optou por terceirizar o serviço com uma empresa local que tem o maquinário necessário na higienização das peças de cama e banho.


Qual a motivação para se adaptar ao Lixo Zero?


De forma resumida, a certificação é concedida quando se tem um Plano de Manejo de Resíduos implantado, onde se destina à aterros sanitários, não mais do que 9% dos resíduos gerados. Na etapa inicial da avaliação do Paraíso das Águas, o principal indicador que mensura a destinação do lixo identificou que apenas 20% não ia para o aterro do município.


“Depois de implantarmos o plano de ação Lixo Zero, obtivemos o primeiro resultado positivo no intervalo de seis meses, em termos de mudança de manejo e comportamento. O percentual saiu de 20% para 87% de correta destinação dos resíduos sólidos”, comemora Silvia.


Na avaliação da empresária, essa certificação foi apenas o começo de uma reformulação no modelo de negócios que tem objetivo de estar integralmente alinhado com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Agenda 2030.


“Precisamos apresentar as ações e bons resultados desenvolvidos em Bonito e no estado. O setor de hospitalidade e turismo está na ponta do atendimento ao turista, por isso, precisamos que saibam do nosso compromisso com o bioma e com a comunidade local”, conclui.


Fonte: Aline Oliveira

DRT 044/MS








14 visualizações1 comentário
bottom of page